quarta-feira, 8 de abril de 2009

Muito de Mim - Parte I

Comentei com alguém aqui dos nossos blogueiros, que neste meu espaço, falaria do meu “sempre”.
Falaria, então, da minha vida, do que ela me ensinou, do que até hoje tenho experimentando no corpo e na alma, pois nada melhor do que em determinado momento, parar calmamente, recapitular tudo com a tranquilidade de quem acredita que a tormenta passou.

É importante para mim que as pessoas com quem estou me relacionando virtualmente, e delas me aproximei pelas portas do “Curso Livre”, saibam muito de mim, porque as considero tão amigas/os como os que tenho na vida real.
Sinto que não deve haver entre nós uma comunicação longínqua e superficial, por ser o nosso convívio via Internet.
Já pude neste pouco tempo de blog spot, mostrar a todo mundo que sou um bocado brincalhona.
É verdade, mas quero que tenham a certeza do respeito que guardo por todos que até aqui tive ocasião de conhecer.

O Eduardo PL, teve que aguentar a gozação da sua ida equivocada ao aeroporto, mas o certo é que nós todos aprontamos coisas parecidas. A diferença é que alguns ficam caladinhos e não contam a ninguém o que aprontaram, desde que a arte lhes permita que se a esconda!
Afinal, errar é humano!
Quando lí o que ocorreu com ele, me veio à memória, meu pai e o que nós dois aprontamos no Galeão, em 1974.

Vou ao começo para não perder esta oportunidade de contar a todos um pedacinho da minha vida e porque tenho que o fazer, pois do contrário ninguém entenderia muito bem a nossa “história do aeroporto”.


Meu pai, portugues, nascido em Trás os Montes, Distrito de Bragança, norte de Portugal, veio para o Brasil com meus avós e os demais filhos, que eram muitos. Ele deveria ter no máximo uns cinco anos. Jovem ainda tornou-se comunista e ajudou a fundar o PC do B..


Este detalhe fiquei sabendo há menos de dez anos, através do seu prontuário, que busquei em vão anos a fio conseguir, mas que só foi possível, quando tornados públicos os documentos até então ocultados pelos governos autoritários que tanto nos castigaram. Os “inimigos do governo” como eram chamados os comunistas e os contrários ao governo fascista do Getúlio, perseguidos, presos, banidos, ou mesmo mortos pelo regime, foram vigiados incessantemente pela sua polícia, com destaque para o temido DIP – Departamento de Imprensa e Propaganda, que exercia o controle ideológico de toda a nação, censurando os meios de comunicação e exercendo um rígido controle sobre a opinião pública. Todos eles, “os inimigos do governo” que foram pegos, tem lá arquivado no Patrimônio Histórico de São Paulo, hoje integrado à Estação Pinacoteca, o seu prontuário, ou dossiê contando a nossa história. Está tudo arquivado no espaço físico, onde funcionava o DOPS - Departamento de Ordem Política e Social, que nos anos de chumbo, passou a ser o DEOPS, exatamente onde meu pai esteve preso e foi torturado, além de ter estado também no presídio Maria Zélia onde ficou por muito tempo.
Getúlio Vargas, então ditador, assinou a portaria de expulsão de meu pai, devolvendo-o para sua terra natal. Tudo o que ele fez, foi apurado pela polícia do Getúlio e consta do seu prontuário, de nº 208. Foto da capa, acima, ao lado. Atrás desse documento, dessa portaria, ando até hoje, mas nunca consegui saber como obte-la e ninguém sabe me informar aonde está.



Discordava, sua ideologia com a do ditador.
“Crime” que muitos cometeram e pagaram caro por isso. Ele ficou longe de Vargas, mas sob os olhos não menos vigilantes de Salazar, com quem logo se desentendeu e de quem teve que fugir. Por isso foi posta no seu encalço a INTERPOL.

Eu, na qualidade de filha e ainda muito pequena, perdi-o por obra e graça da sua ideologia política, e pela força de quem tinha mais poder. No entanto, toda a vida tive de meu pai, uma lembrança muito marcante quanto à sua figura (sempre o vi como um homem lindo!), mas quanto ao restante, fiquei sob os cordéis de comando de toda a família de minha mãe, que manipulava o meu inocente pensar quanto a ele, e na condição de verdadeira marionete, agigantavam-se e conviviam dentro de mim, como num efervescente caldeirão, sentimentos de perda irreparável, temperados pela saudade e envoltos em amor e ódio, com os quais eu não sabia lidar.





Nem tudo numa história de vida é só tristeza, ela, também teve reservados para nós, alguns doces bocados que vocês logo saberão, na continuidade deste relato que faço, com todo meu amor e claro, sob meu ponto de vista, porque esta vida que estou aqui relatando, foi também a vida de outras pessoas e por certo, cada uma a interpretou ao seu modo, conforme sua sensibilidade.





Logo retorno e conto mais.... Lisboa 1942




Aidinha



30 comentários:

  1. Aidinha,

    Penso como você: cada um , a seu modo, deve ser o mais transparente e leal possível com aquele a quem chama de amigo - mesmo virtual. Parabéns pela sensibilidade. Fico feliz em pertencer a seu grupo de amigos.Adorei o relato. Sensível, amoroso, como você. Vou acompanhar.

    beijão é ótimo feriado.

    ResponderExcluir
  2. Aidinha,fiquei comovido com a história.São mesmo estranhos os caminhos dessa vida.Essa homenagem que você presta a seu pai é muito bonita!Meus avós maternos são ambos de Portugal,meu avô já faleceu,mas minha avó está firme e forte com 90 anos.Ela conta histórias tristes e ao mesmo tempo muito bonitas sobre sua infância na cidadezinha de Vila Nova de Paiva ,quando Portugal era ainda um país muito pobre.Fico feliz que nossos amigos portugueses superaram esses problemas e hoje são um país próspero.Estou aguardando a continuação da história.Um abraço do james.

    ResponderExcluir
  3. Aidinah,fiquei muito comovido com seu texto.É uma homenagem muito bonita que você presta a seu pai.Meus avós maternos também vieram de Portugal.Meu avô já faleceu,mas minha avó está firme e forte com 90 anos.Ela conta muitas histórias tristes e ao mesmo tempo muito bonitas de sua infância na cidadezinha de Vila Nova de Paiva.Ela veio para o Brasil com 9 anos.
    Aguardo a segunda parte da história.Um abraço do James.

    ResponderExcluir
  4. Mamis, eu conheço sua história e parece que vem por aí! Assim, todos te conhecerão melhor, e perceberão que o bom humor, é mesmo sinal de inteligência, jogo de cintura, e beleza de alma. Sei que sua infância foi bem complicada. Mas seu pai, meu avô, tinha um propósito. Era sua meta, ele amava a política, o seu partido, e seu engajamento dentro dela foi prioridade. Cada um na sua... Mas os rastros ficam por aí, por aqui, por todo lado. A história é linda, e ele, a única vez que convivi com ele, quando nos encontramos, por mais ou menos 40 dias, nem sei se tanto, foi bem diverdito e diferente. Mas vou deixar para você contar isso. Acredito que aqui, tem muita gente que vai amar sua história com relação a essa parte.

    Sorte para você. To aqui, na retaguarda.
    Logo mais falamos, bjks minha lindona.
    Filha

    ResponderExcluir
  5. CARA AIDINHA
    Fabulosa esta história de seu PAI!
    Ainda por cima um conterrâneo meu...
    Por esta Foto de 42, ano em que nasci, se pode ver que era um homem evoluído para a época!
    Seus avós fugiram á fome que grassava em Portugal, e a um Ditador tenebroso Salazar. Anos depois seu PAI era perseguido por outro Ditador, Vargas.
    Estarei atento ao desenrolar desta sua história de vida.
    Obrigado minha amiga pela vista.
    FELIZ PÁSCOA
    Bjs
    G.J.

    ResponderExcluir
  6. Aidinha:
    Me emocionou o seu relato, assim, como emociona relatos como o seu, de ooutras pessoas que sofreram na pele o desespero, de ter sido perseguido pelo poder, de pessoas, que só sabiam abusar do poder que tinham.
    Sabemos de muitas lágrimas, de muitos sofrimentos, mas o seu, doeu aqui, porque gosto de você. E é muito ruim, pensar em pessoas que gostamos, sofrendo.
    Mas vou esperar a segunda parte de seu relato, porque disse, que tem alegrias também. Verdade, que ninguém é feliz ou infeliz o tempo todo. Sei que nos trará belos momentos.
    Por ora, desejo que tenhas uma feliz páscoa.
    Um grande beijo.

    ResponderExcluir
  7. O desenterrar do passado!
    Sua história está carregada de emoção...
    Beijinhos,
    Marie

    ResponderExcluir
  8. Aidinha,boa páscoa para você e sua família.Um abraço.

    ResponderExcluir
  9. Aidinha...
    Que prazer o meu ter podido vir até aqui, e agora, compartilhar dessas histórias incríveis que fazem a vida da gente...
    Lindo seu pai, e devia ter histórias incríveis também...
    Sua delicadeza ao escrever me conquistou... completamente !
    Tenha uma Páscoa linda...

    Um beijo e um sorriso,

    Solange

    http://eucaliptosnajanela.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Aidinha,

    Seu pai era um lutador inonformado.
    Parece história de filme. Getúlio, salazar, interpol...
    E é pena a família, despoletar esses sentimentos contraditórios em quem cresce.

    Bem, aguardo a continuação da história.

    Já sabe: às 4ªs, no arco-íris, vemha tomar um chá connosco, limonada ou café: ao "Clube dos desabafos" - contar gaffes, brincadeiras, brincar com coisas que não estão a correr bem no dia, apimentar os outros comentários, até os próprios se rirem - por exemplo, deixar uma pista no blog deles, para se rirem,
    Contamos consigo. todos, somos importantes.

    Até lá,
    beijinhos
    Lília

    ResponderExcluir
  11. Aidinha, dá gosto de te ler. Tua história de vida é riquíssima e envolvente. Hoje venho especialmente para deixar meus sinceros votos de uma Feliz Páscoa. Que o amor sempre faça parte desta renovação total em nossas vidas. Beijão.

    ResponderExcluir
  12. Mamãe, feliz Páscoa, te amo e desejo à você muita saúde, alegria, felicidade, amor, e tudo aquilo que vc deseja e quer... Pra sempre!

    bjks, CON

    ResponderExcluir
  13. Como é gostoso ler o que vc escreve aqui.
    Que vibrante! Encontro nos seus relatos uma parte da herança de coragem, persistência e amor da sua família. Esperta vc ao textualizar em forma emoção pura e em capítulos, deixa aquele gostinho de quero mais...Estou aguardando o próximo.rs
    Tenha uma páscoa abençoada.
    Meu carinho sempre
    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Cris

    Mais um ponto em comum entre nós, é muito bom.

    Obrigada por ter vindo me prestigiar.

    A questão é muito pessoal, não deve interessar a todos, mas o meu objetivo maior é mesmo me revelar...

    Beijo da
    Aidinha

    ResponderExcluir
  15. James

    Somos quase todos desta turma, vindos da santa terrinha. Falamos a mesma lingua e assim nos entendemos muito bem.

    Voce já foi visitar sua avó? Espero que tenha ido e que possa ir outra vez, porque poder ver a família é um privilégio. Portugal é mesmo tão querido que temos vontade de estar sempre por lá.

    Sua presença e seu cometário nesta postagem são muito caros para mim.

    Beijo
    Aidinha

    ResponderExcluir
  16. Gaspar

    Obrigada por ter deixado aqui as suas palavras sempre bem vindas.

    Então voce é de lá! O mundo é mesmo pequeno. Meu pai nasceu em Paredes de
    Parada, onde meus avós moravam.

    A vida dele foi dura, mas creio que nunca conheci ninguém com mais poder de decisão que ele. Era livre. Então “o que é de gosto, regala a vida” e ao menos quanto a isso ele foi feliz.

    Um beijo meu amigo, e volto logo para contar mais.

    Da aidinha

    ResponderExcluir
  17. Aninha

    Linda e carinhosa.

    Suas palavras é que emocionam.

    No mundo de hoje, haver alguém que se encomede por nós é muito difícil. Creia que de minha parte, ocorre o mesmo. Já disse, mesmo virtualmente, aprendemos a querer bem às pessoas e elas começam a fazer parte da nossa vida e do nosso coração.
    Isso não é uma felicidade? Eu sinto que sim.

    Beijo e o meu carinho
    Aidinha.

    ResponderExcluir
  18. Marie

    Querida é isso mesmo, mas as emoções enriquecem as nossas almas. Gosto delas, boas, ou não, porque deixam sempre um ensinamento.

    Beijinhos e até já, já!
    Aidinha

    ResponderExcluir
  19. James

    Agradeço seus votos de feliz
    Pascoa, espero que a sua tenha sido feliz também.

    Beijo
    Aidinha

    ResponderExcluir
  20. Solange

    Que bom voce ter vindo e ter gostado, me incentiva a continuar.
    Já estou fazendo a próxima postagem, mas o tempo e o computador não tem colaborado para isso. Logo postarei a II parte.

    Menina é muita vida e muita história...

    Obrigada minha linda da janela e dos
    eucaliptos perfumados.

    Beijo da
    Aidinha

    ResponderExcluir
  21. Dulcineia

    Darei um pulinho no clube dos desabafos, mesmo porque amei o convite e adoro chás!

    Obrigada por ter vindo até aqui.

    Vou proseguir nessa parte da minha história. Espero que consiga faze-la interessane.

    Beijo da
    Aidinha

    ResponderExcluir
  22. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  23. Ery

    Amen para o amor nas nossas vidas!

    Obrigada por ter vindo e pelos votos de feliz Pascoa.

    Vou prosseguir com a história, mas este PC tem me boicotado quanto pode... Eta maquininha invocada!

    Com carinho, um beijo da
    Aidinha

    ResponderExcluir
  24. Filha

    Obrigada por tudo, mais uma vez e todo meu amor.

    Deus te, sempre.
    Beijo da

    mamis
    Aidinha

    ResponderExcluir
  25. Sil

    Querida.

    Ainda há muito para contar, se quisermos andar por este caminho.

    Vou continuar um bocado por essa parte das nossas vidas, porque foram marcantes e talvez decisivas no nosso destino e na minha formação.

    É bom repartir com quem amamos, você sabe.

    Beijo carinhoso da

    Aidinha

    ResponderExcluir
  26. Filha,

    É verdade o que voce diz no seu comentário anterior.

    Voces, quando veio o vovo, já eram jovens, só o Rico menino ainda.

    Para precisar os fatos, registro aqui que ele chegou ao Brasil, pelo Rio de Janeiro no dia 22 de dezambro de 1973.

    Veio para ficar nada mais que uns 25 dias, mas, não conseguiu e só foi embora na noite de 24 de abril de 1974, direto para Bardelona e quando lá pisou, teve a notícia feliz que Salazar estava deposto.

    Tinha havido naquela noite, enquanto ele voava, a Revolução dos Cravos.

    Ele merecia viver para receber essa magnifica notícia!

    Eu estava fazendo aquela pirogravura no espelho que te dei, atrás dele está gravada essa data e o a partida do papai.

    Beijo filha, da mamis
    Aidinha

    ResponderExcluir
  27. Mamis, tem gente comentando do seu comments no meu blgo, sobre a tertúia hahahahahha muito legal. Vai ver... bjus

    ResponderExcluir
  28. Querida Aidinha,tem um selo pra você no meu blog.Abraços do James.

    ResponderExcluir
  29. Aidinha
    Não tenho podido visitar meus amigos. Primeiro estava ocupada, fazendo as páscoas das netas, filhos, família. Agora estou com problemas de conexão que está me deixando estressada, pois qdo penso que vou comentar cai a conexão e demora a voltar. Hoje estou com sorte.

    Fiquei emocionada com tua história e sei que muitas emoções estão a caminho. Voltarei para acompanhar.
    Bjim, boa semana.

    ResponderExcluir
  30. Aidinha, como não apareceste vim deixar um beijo e desejar que tenhas uma ótima semana.

    ResponderExcluir